Imprimir

Fafram constrói novas instalações para confinamento de gado leiteiro

AddThis Social Bookmark Button

De acordo com Eliana D Auria, os animais passam por criteriosa seleção em relação à produção de leite, reprodução e outros fatores. “São preferidos os animais com características desejáveis. Dessa forma, o rebanho tem, cada vez mais, um número maior de animais geneticamente superiores”, ressalta.

A coordenadora também falou sobre novos projetos para o setor. “Atualmente, está em fase de construção um confinamento para bovinos de engorda o que possibilitará a realização de muitas pesquisas e a elaboração de diversos trabalhos envolvendo tanto os alunos da Medicina Veterinária quanto da Agronomia”, complementa a professora.

“Todos os serviços prestados no setor da Bovinocultura estão disponíveis para todos os criadores que se interessarem por uma assistência técnica realizada por professores e alunos da Fafram”, conclui Eliana.

Imprimir

Fafram investe em melhorias no setor da bovinocultura

AddThis Social Bookmark Button

Criação de gado leiteiro é estudada por alunos do curso de Medicina Veterinária e de Agronomia

Além da qualidade de ensino bastante elogiada, a Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram) oferece ótima estrutura física e espaço privilegiado. A instituição de ensino funciona no Sítio das Acácias – local amplo, cujo campus é distribuído em 70,78 hectares, o que possibilita o desenvolvimento de vários projetos de cunho educacional.

Entre eles, está a criação de gado leiteiro. “Além da produção, o rebanho da raça Girolando possibilita aos alunos a oportunidade de aprender técnicas relacionadas às biotecnologias da reprodução, como ‘Inseminação Artificial’ e ‘Inseminação Artificial em Tempo Fixo’. Oferece também aulas práticas na área de Clínica Médica de Ruminantes”, afirma a coordenadora do setor Eliana d’Auria.

Em entrevista à Tribuna de Ituverava, ela explica que, atualmente, o rebanho é certificado como “Livre de Brucelose e Tuberculose”, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“Esta certificação tem grande importância, principalmente pelo fato destas duas patologias serem consideradas zoonoses, ou seja, doenças de animais que são transmissíveis para o ser humano. Porém, os alunos podem ter contato com os animais, sem o risco de contágio”, diz a coordenadora.

Estrutura
A estrutura da Bovinocultura conta com um sistema de ordenha mecânica, onde os alunos dos cursos têm a oportunidade de participar do processo de uma ordenha higiênica. “Eles também podem realizar testes para detecção precoce de Mastite, doença de grande relevância na pecuária leiteira.

A professora também fala dos experimentos no setor. “Os projetos desenvolvidos tem também o objetivo de ajudar nos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), proporcionando a associação da teoria aprendida na sala de aula com os resultados práticos de campo”, explica Eliana.

A professora ressalva ainda que alunos de todos os ciclos de Medicina Veterinária participam das vacinações de aftosa, raiva, carbúnculo e outras imunizações contra doenças que afetam os bovinos. Também são feitas vermifugações, aplicações de vitaminas e de fortificantes, em épocas específicas.

“Estas atividades são exercidas durantes as aulas. Esta prática serve para que, desde o início do curso, os alunos tenham oportunidade de entrar em contato com os animais e as boas práticas de manejo”, acrescenta a professora.

Imprimir

Novo Código Florestal pode levar a um retrocesso, diz professora

AddThis Social Bookmark Button

À pedido da Tribuna de Ituverava, mestre em Ciências Florestais da Fafram analisa a legislação

Onovo Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados dia 25 de abril, traz mudanças em questões importantes, como as Áreas de Preservação Permanente (APP) e reserva legal. O código já havia sido aprovado na Câmara em maio de 2011, quando a base aliada aprovou, mesmo com orientação contrária do governo.

Depois, o texto passou pelo Senado, em dezembro de 2011 e, por ter sido modificado pelos senadores, voltou para a Câmara, onde teve a votação concluída em abril este ano. Agora, o projeto vai para sanção da presidente Dilma Rousseff, que tem direito de fazer veto integral ou parcial.

A pedido da Tribuna de Ituverava, a professora Denise Bittencourt Amador, da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), fez uma análise profunda sobre a nova lei. Denise é mestre em Ciências Florestais e coordenadora do Projeto Arte na Terra. Ela também integra a ONG “Mutirão Agroflorestal”.

Segundo ela, a proposta do Novo Código traz um enorme retrocesso do ponto de vista ambiental. “Ainda não foi homologado e ainda há a esperança da presidenta Dilma Roussef vetar trechos ou o relatório na íntegra. Se tivermos a clareza que o meio ambiente é um bem comum à sociedade, essencial à vida do planeta, a perda da qualidade ambiental afeta a todos os cidadãos brasileiros do presente e do futuro, em áreas rurais e urbanas”, afirmou a professora.

Segundo ela, a proposta desobriga proprietários rurais e municípios a se responsabilizarem por manter os meios de sobrevivência no planeta. As florestas, especialmente nos ambientes tropicais, representam a estratégia que mantém a vida e os processos naturais.

“Um código que desobriga a necessidade de mantermos as florestas em pé é um atestado de suicídio coletivo. Somos um país florestal, mas pela nossa origem de país colonizado, nunca soubemos trabalhar e valorizar esta riqueza. Precisamos é desenvolver uma cultura florestal, saber gerar renda e alimentos a partir e junto da floresta, nossa biodiversidade inclui frutos riquíssimos como pequi, cupuaçu, baru, açaí, pupunha, cará, entre tantos outros. O que nos falta é criar políticas e mercado para produtos da nossa biodiversidade que mantenham a floresta em pé promovendo produtos e serviços essenciais à nossa vida”, afirma Denise.

Professora enumera desvantagens do Novo Código Florestal
A professora é categórica em enumerar as desvantagens. “Se trouxe benefícios, foi para meia dúzia de produtores rurais que ainda não enxergaram a necessidade e o valor do bem maior das florestas e ainda querem o lucro próprio a qualquer custo”, ressaltou.

Denise também critica a postura dos políticos brasileiros frente à nova legislação. “Enquanto o mundo inteiro repensa os meios de produção, os paradigmas de desenvolvimento, buscando novas formas de crescimento econômico considerando a sustentabilidade, o Brasil faz este enorme retrocesso aprovando uma lei que prejudica irreversivelmente os recursos naturais dos quais a própria agricultura tanto necessita – água, solo, biodiversidade”, complementou.

Ela finaliza. “Às vésperas de sediar a grande Conferência das Nações Unidas do Meio Ambiente, a Rio +20, o Brasil deveria dar um exemplo e mostrar uma política ambiental clara e avançada, sintonizada com as demandas atuais, em vez de envergonhar os cidadãos brasileiros aprovando uma legislação ambiental tão atrasada e incoerente com o nosso patrimônio e nossa natureza. Ainda há uma esperança: Veta, Dilma”, concluiu a professora.

Principais modificações
O que diz a Lei:

- As áreas de nascentes que devem ter a proteção de um raio de 50 m ao seu redor, passam a ter apenas 30 m.

Opinião de Denise:

“Sabemos que as nascentes são as formadoras dos rios, abastecem a água da população e necessitam uma boa proteção para sua perenidade e para evitar a contaminação por agrotóxicos”.

O que diz a Lei:

- Não haverá mais a exigência de reflorestar as margens de rios, as matas ciliares, para rios com mais de 10 m de largura

Opinião de Denise

“Estas áreas sempre foram consideradas de preservação permanente pela direta relação com a qualidade e quantidade da água”.

O que diz a Lei:

- Todas as áreas desmatadas até 2008 poderão ser legalizadas e anistiadas de multas

Opinião de Denise:

“Isso traz uma imagem de impunidade vergonhosa para o nosso país”.

O que diz a Lei:

- O relatório exclui das APPs também os apicuns e salgados, áreas mais importantes dos manguezais. O documento passa para os Estados e municípios o poder de definir a extensão das APPs em áreas urbanas.

Denise:

“Esta medida torna a resolução muito mais fácil de manipulação política local”

O que diz a Lei:

Passa a ser possível compensar área de Reserva Legal em outro Estado e os proprietários poderão pagar para compensar a área desmatada.

Opinião de Denise:

“Com isso, muitos problemas de regularização ambiental serão criados e a fiscalização será ainda mais complexa do que é hoje. O relatório proíbe que o cadastro ambiental rural seja público, o que torna também bem mais complicada a fiscalização”.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Alunos da APAE visitam o HV da FAFRAM

AddThis Social Bookmark Button

Nessa semana, alunos da APAE de Ituverava visitaram o Hospital Veterinário no campus da FAFRAM. Em agradecimento Lucymara Sanches da APAE em nome de toda equipe diz "Está sendo muito importante a frequência dos voluntários desse projeto para nossa entidade, foi de grande valia na socialização dos alunos entre si, professores e terapeutas. Houve uma melhora na comunicação e na ansiedade, trouxe disposição e auxiliou na coordenação motora global. Sem contar a grande felicidade que a vinda dos animais trouxe aos portadores de necessidades especiais (aos nossos alunos).

Agradecemos a calorosa acolhida que tanto nos agraciou no passeio cultural como no lanche delicioso que tomamos no piquenique ao ar livre.


A importância da integração alunos da veterinária e APAE só fortalece a ideia que não existe preconceito e sim uma grande amizade."

 

 

Imprimir

FAFRAM estréia nova página no facebook

AddThis Social Bookmark Button

Instituição de ensino ituveravense lançou nova página, nesta semana, na rede social

Atualmente, as redes sociais da internet fazem parte do cotidiano das pessoas. Afinal, quase todo mundo já ouviu falar em Facebook, Orkut, MySpace, mesmo que não participem delas. Elas estão presentes em sites de relacionamento on line, e muitas vezes, é possível se construir uma rede de contatos dentro dos próprios sites.
É esta mídia que a Fundação Educacional de Ituverava ataca agora. Pensando em divulgar seus cursos e atrair novos alunos, a instituição – mantenedora das faculdades Dr. Francisco Maeda (Fafram), de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) e do Colégio Nossa Senhora do Carmo-COC – lançou “seu perfil” na mais popular rede social da atualidade: o facebook.

“Trata-se de uma excelente forma de divulgação”, observa o diretor de informática do Departamento de Marketing da FE, Fernando Stuck. “A grande diferença no uso de redes sociais é que, além de espalhar links externos, pode fazer com que esses links externos sejam acessados pelo máximo de pessoas possíveis. Isso se consegue criando uma forte rede de contatos formada de internautas que gostariam de apreciar seu conteúdo”, explicou.

Outra novidade
Stuck anunciou outra novidade: nesta semana, entrou no ar a página exclusiva da Fafram, no Facebook. “Como o Perfil da FE no ‘Face’ chegou a 5 mil pessoas, tivemos de criar páginas diferenciadas de cada instituição mantida. A Fafram é a mais nova dela. Já no primeiro dia de funcionamento, na segunda-feira, tivemos mais de 40 acessos na primeira hora”, ressaltou o diretor de informática.

Segundo ele, se fazer presente em uma rede social como o Facebook é uma vantagem sobre os jovens. “As redes sociais ganharam lugar de uma maneira vertiginosa, além de proporcionar um aumento significativo nas interações e conectividade de grupos sociais, tornaram-se um meio promissor de divulgação de conteúdo e propagação de idéias. É, sem dúvida, um atalho para o público jovem”, concluiu Stuck.

As vantagens de uma empresa
fazer parte de uma rede social
Visibilidade: O fator visibilidade está ligado à manutenção da própria rede social, ou seja, quanto maior sua permanência e contribuição na rede, maior será sua visibilidade.

Relacionamento: Maximize sua visibilidade trabalhando suas relações online, participe de comentários em blogs, fóruns e ajude o compartilhamento de boas ideias.

Reputação: o conceito de reputação está diretamente relacionado às informações sobre quem somos e sobre o que pensamos, que permitem que outros criem suas impressões sobre nós.

Conteúdo: Nunca se esqueça de investir seu tempo em divulgar bons conteúdos nas redes sociais. Desta forma, o bom conteúdo compartilhado sempre será bem propagado e você contribuirá para sua boa reputação.

Popularidade e Autoridade: caracterizamos popularidade e autoridade muito mais como a capacidade de influenciar, do que em números relativos, pois o bom conteúdo sempre será bem aceito e propagado por si só, mas sua influência será maior quando se trata de perfil com reconhecimento na área que este se refere.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Baixas temperaturas chegam a Ituverava

AddThis Social Bookmark Button

Clima frio antecipa inverno, um mês antes de sua chegada oficial

Ainda é outono, mas o clima já está com cara de inverno. Para a região Sudeste, ao que tudo indica, a estação mais fria do ano já chegou – quase um mês antes do início oficial.

Na última semana, Ituverava registrou temperaturas mínimas de 11,8º C, de acordo com os medidores da Faculdade Dr. Franscico Maeda (Fafram). “A frente fria que avançou pelo Brasil no último final de semana fez com que temperaturas diminuíssem e ainda trouxe chuva, coisa não muito comum para o mês de maio, que é marcado por ser o início da estação seca na região Sudeste”, explicou a professora de Meteorologia da Fafram, Anice Garcia.

Segundo ela, para Ituverava, as temperaturas normais climatológicas registradas entre os trimestres de junho, julho e agosto seriam de máximas de 28°C e mínimas de 13°C aproximadamente.

Anice também alerta: o clima deverá continuar com “cara” de inverno. “Com o declínio do fenômeno La Niña – que vem ocorrendo gradualmente desde março deste ano –, a previsão climática de consenso pelos Centros de Meteorologia indicam que as temperaturas esperadas para o inverno estejam dentro da normalidade, isto é, tenham características típicas da estação”, assegurou a professora.

Ela ressalta ainda que, nessa época do ano, é comum a ocorrência de frentes frias. “Também estamos observando a entrada de massas de ar frio que, dependendo da sua trajetória e intensidade, provocam quedas de temperatura bruscas, como as que ocorreram nessa semana. Esta situação poderá voltar a ocorrer durante todo o período. Em resumo, as previsões apontam para um inverno normal, ou seja, dias com temperaturas baixas e noite bastante frias”, disse Anice.

Previsão
Para o final de semana, a previsão é que as temperaturas se mantenham baixas na região. A mínima deverá ser registrada na madrugada de hoje: 13º C, e a máxima será de 28º C. O clima segue nesta faixa até meados da próxima semana, quando uma nova frente fria derruba ainda mais as temperaturas.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Imprimir

Instalado totem Institucional na FAFRAM

AddThis Social Bookmark Button

Foi instalado na quinta-feira dia 09/02 um Totem (painel) Institucional no Campus II da Fundação (FAFRAM). Abaixo algumas fotos da instalação

Veja Também

Prev Next