Imprimir

Perito ministra curso sobre Investigação Criminal

AddThis Social Bookmark Button

Evento foi realizado na Fafram pelo professor Dr. Wander de Bortoli Pereira

banner-curso-wanderNo dia 30 de novembro, foi realizado nas instalações da Faculdade Dr. Francisco Maeda (Fafram), o 1º Curso Prático de Investigação Criminal (CSI) da FAFRAM – Local de Crime Simulado, ministrado pelo professor Dr. Wander de Bortoli Pereira, que é Perito Criminal do Estado de São Paulo, e atua em Ituverava e região.

Cerca de 37 pessoas participaram do curso, que inicialmente era voltado para alunos dos cursos de Direito, Agronomia, Medicina Veterinária, Enfermagem e Sistemas de Informação, interessados em prestar concurso público na área de Segurança Pública. Contudo, atendendo a pedidos, foi aberto para o público externo, como alunos da Etec, DeMolays e egressos da faculdade. O objetivo do curso foi demonstrar os principais procedimentos das Polícias Militar, Civil e Científica sobre crimes que atentam contra a vida, como suicídio, homicídio e mortes violentas, além de ressaltar a importância dessas instituições e da própria população, para a efetivação da segurança pública e da Justiça.

“O nosso intuito principal foi mostrar que os crimes deixam marcas, vestígios e indícios que serão utilizados como provas para o Delegado de Polícia instruir o inquérito policial, bem como fornecer ao Ministério Público, as provas de existência do crime e os indícios suficientes de autoria, ou seja, os elementos essenciais para propositura da ação penal”, afirma o perito.

“Destacar a relevância das provas robustas na comprovação da verdade, dos fatos para facilitar o julgamento do juiz ou o convencimento do tribunal do júri para a realização da Justiça”, observa.

Temas Principais

Dentre as pautas do curso estiveram assuntos relacionados à Segurança Pública, como a importância da orientação e conscientização das pessoas frente aos crimes, indicando como agir, o que evitar a quem recorrer nos casos de suicídio, homicídio entre outros crimes.

“A preservação do local de crime, com destaque para as atribuições da Polícia Militar na preservação da cena do crime, a competência da Polícia Civil na persecução penal e investigação criminal e a relevância e força das provas periciais realizadas pela Polícia Técnico Científica, também foram alguns dos assuntos que permearam a atividade”, destaca.

“Por fim, foi debatida a importância dos elementos essenciais, como prova de existência do crime e indícios suficientes de autoria, para a realização da Justiça pelo juiz ou Tribunal do Júri”, enfatiza.

Feedback

O feedback sobre o workshop, segundo o perito, foi muito positivo, onde os participantes tiveram a oportunidade de viver uma experiência marcante. “Muitos afirmaram ter adquirido um conhecimento que levarão para a vida. Simular de forma tão real, uma cena de crime, despertou a atenção para o nosso bem mais precioso: a VIDA”, destaca.

“Também acredito que todos conseguiram refletir sobre o valor da sua vida e de seus familiares e, que ninguém pode atentar contra a vida de outrem sem ser responsabilizado pela Justiça”, diz.

“O sucesso do curso foi demostrar que, contra fatos verdadeiramente provados não há argumentos. Com provas fortes é possível lutar pelo Direito para que a Justiça seja feita”, declara Bortoli, acrescentando que muitas pessoas que ficaram sabendo do evento depois, demonstraram interesse em participar do próximo curso, que deve ocorrer em 2020.

Realização

Promovido por Dr. Wander Bortoli Pereira, que também é professor no curso de Direito da Fafram, com pós doutorado (Ph.D.) em Criminologia e em História do Direito, Filosofia e Constituição, a iniciativa contou com o apoio do diretor da Fafram, Márcio Pereira e da Polícia Militar.

“Contamos com a importante colaboração do comandante da Polícia Militar, Helder Antônio de Paula, que enviou uma excelente equipe formada pelo subtenente Eugênio Luiz de Paula e o cabo Marcelino, para fazer a preservação do local de crime e representando a Polícia Civil. Também contamos com a parceria do delegado André Luís Jardini Barbosa”, afirma. “O corpo docente da Fafram, principalmente, a coordenadora da Enfermagem Daniela Sarreta Ignácio, a professora da Medicina Veterinária Aline Gomes, juntamente com a Alessandra também não mediram esforços para o sucesso do curso. Contamos também com o apoio dos acadêmicos do curso de Direito, Gabriel Godoi e Luís Pedro Rosa da Silva, além da equipe de Marketing da FE”, completa o perito criminal, Dr. Wander de Bortoli Pereira.

Fonte: Tribuna de Ituverava

Veja Também

Prev Next